Publicidade

Rampa da Arrábida: estão de volta as emoções da Montanha!

No próximo fim-de-semana, o cenário idílico da Paisagem Protegida da Arrábida tem honras de abertura do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group. 58 inscritos, a que se juntam mais 14 na rampa regional, partirão em busca dos títulos nacionais em jogo, numa temporada que promete, uma vez mais, ser entusiasmante.

A prova inaugural, a cargo do Clube de Motorismo de Setúbal, terá honras de transmissão em livestreaming, com a cobertura em direto a superar as 10 horas de emissão.

Quanto a luta pelo cetro absoluto, Hélder Silva começa na rampa a defender o seu tricampeonato.

“O “Pistoleiro” da Power House volta a confiar na sua bem sucedida “barchetta” Osella PA2000 EVO2-PA.30, que foi completamente reconstruída pela equipa poveira após a forte batida em Boticas, no fecho da época transata. Como principais opositores, apresentam-se  nesta prova inaugural José Correia (Norma FC20) e Nuno Caetano, colega de equipa de Hélder Silva, que vai para a segunda época aos comandos de uma Osella PA21 S EVO”, refere a nota informativa que nos foi enviada.

“Numa segunda linha de favoritismo, temos um naipe melhorado de pilotos nos Protótipos B, encabeçados pelo “Capitão” Nuno Guimarães, no Silver Car S2 da NJ Racing. Realce para o regresso de Joaquim Rino (BRC B49 EVO), para a estreia de Afonso Santos, um jovem com apenas 16 anos, tripulando um BRC B49 e para nova aposta de Sérgio Nogueira nos protótipos, com o “Raçudo de Braga” a adquirir um BRC CM05 Evo. Novidade é também a nova montada do duriense Victor Bessa, que se apresenta na Arrábida com um original FIAT X1/9”, acrescenta a mesma nota.

GT: Quem se opõe a Pascoal?

A Categoria GT está bem e recomenda-se. São 5 as “bombas” que se inscreveram na prova do CMS e a principal pergunta é quem fará oposição a Vítor Pascoal, o bicampeão em título.

“Não satisfeito por ter dominado quase por completo a época transata, o “Sniper de Baião” não ficou a “dormir sobre os louros conquistados” e adquiriu um Porsche 991 GT3 Cup mais recente, com um motor de 4 litros, sendo, por isso, logicamente favorito à partida do campeonato”, refere o comunicado.

Nesta categoria, o piloto de Baião “não está sozinho quanto aos atores com reais possibilidades de conquistarem o título. Gabriela Correia (Mercedes AMG GT4) e Bernardo Garcia de Castro (Porsche 997 GT3 Cup já provaram no passado que conseguem ombrear e levar de vencida os duelos com o campeão baionense e, com toda a certeza, que ambos vão dar tudo para transformar 2024 no “seu” ano de consagração”.

“Debutante nesta categoria, José Carlos Pouca Sorte aposta num Porsche 997 GT3 Cup para fazer brilhar as cores da Megamotors. A marca germânica tem “maioria absoluta” na categoria, reforçada pela presença de André Fernandes (Porsche 997 GT3 Cup), piloto português radicado nos Estados Unidos da América e que tem feito sobretudo corridas de velocidade”, reforça a nota de imprensa.

Fotografias: DR

Super Challenge: Luís Nunes quer continuar a dominar

A Categoria Super Challenge continua a ser a mais frequentada do pelotão da Montanha. Mesmo com algumas ausências, são 10 os pilotos inscritos e, entre eles, sobressai logo o nome de Luís Nunes.

Após 5 títulos conquistados, 4 entre os Turismo e o último, em 2023, no ano de nascimento desta categoria, o “Foguetão de Valpaços” volta a merecer honras de favoritismo quase total, tal o binómio competitivo que forma com o seu Skoda Fabia R5.

Para obstar a que Nunes continue na senda imparável dos triunfos, apresenta-se como grande opositor José Lameiro. O seu Skoda Fabia Super Car foi alvo de melhorias antes desta época e o piloto que vem do Ralicross está também mais habituado às particularidades da Montanha. Os dois preenchem a grelha do grupo SC-A.

Já no Grupo SC-B reside a maior fatia de participantes da categoria: 5. Lidera-os Bruno Carvalho (Citroen Saxo), que terá também um olho bem focado na geral da categoria. No seu grupo, enfrenta as ambições de Pedro Neves (Honda Civic), Jorge Vicente (Renault Clio), Francisco Vieira Leite (Toyota Corolla T-Sport) e João Rodrigues (Peugeot 106 XSi).

No Grupo SC-D, o duelo será entre o BMW M3 de Carlos Correia e os Mini Cooper S de José Salgado e Arlindo Beça.

Turismo: “com o “patrão fora” a batalha está aberta!

Também na Categoria Turismo temos “trono vago”. Luís Delgado, campeão em 2023, não alinha na Arrábida e isso abre por completo as ambições de vários protagonistas, provenientes das três divisão desta categoria.

A Divisão 1 continua a ser um feudo exclusivo dos Mitsubishi Lancer EVO X. Estreia-se Daniel Pacheco, que se junta a Carlos Gonçalves, que venceu a divisão em 2023.

Na Divisão 2, Parcídio Summavielle vai estrear um Seat Cupra TCR, José Carlos Magalhães também debuta com um Seat Leon MKII e os dois têm tudo para estar entre os contendores pelo triunfo na categoria. Beatriz Correia vai dar continuidade à sua evolução noutro Seat Cupra TCR e António Ferreira (KIA Ceed) completa o naipe de inscritos na T2.

Quanto à Divisão 3, Gonçalo Inácio (Peugeot 206 VTi R2) assume favoritismo e olha mesmo para os lugares cimeiros da categoria, mas terá que ultrapassar a oposição do outro Peugeot 208 VTi R2 de Luís Martins, dos Citroen Saxo de Celso Fonseca e Carlos Ferreira, do Honda Civic Type R de Bruno Rodrigues e do Peugeot 206 RC de Rute Brás.

A Rampa da Arrábida será também a prova inaugural da Taça de Portugal Kartcross de Montanha, alinhando Nelson Rocha (Semog Bravo Sport SE) e Tiago Pinto (LBS Motor Club RX 01).

Clássicos: Sainhas na frente, “Caramulo Boys” no encalço

A “batalha” nos Clássicos tem tudo para se transformar numa refrega serrana, opondo a Serra da Estrela ao Caramulo. Flávio Sainhas, o “Diabo da Covilhã”, começa em Setúbal a defender o título conquistado em 2023 no Campeonato de Portugal de Clássicos JC Group, voltando a confiar no muito bem preparado Ford Escort MKI. Pela frente, terá a habitual oposição de Fernando Salgueiro e Ricardo Loureiro, também sempre fiéis aos dois Ford Escort MKII do Caramulo Racing Team. Este triunvirato ostenta alguma vantagem no favoritismo atribuído, mas a luta poderá ser mais aberta.

Nesta prova inaugural, o pelotão dos Clássicos incluiu ainda o rápido Luís Moutinho (Ford Escort MKI), Ricardo Pereira (Ford Escort MKII), Carlos Fava (VW 1303) e Fernando Francisco (Ford Escort MKI).

Legends: “sondagens” apontam luta aberta

Ausente Pedro Alves, que em 2023 não deu veleidades aos adversários, dominando a época, tudo indica que teremos um ano muito interessante, com vários pilotos a poderem chegar ao título.

Na Arrábida, o alinhamento do Campeonato de Portugal Legends de Montanha JC Group inclui Gonçalo Janeira (Citroen AX GTi), Daniel Rolo (Nissan Sunny GTi), Miguel Gonçalves (BMW E36 Coupé), João Gachas (Rover 114 GTi) e o vila-realense Simplício Taveira que deixa os 1300 para se juntar ao pelotão dos Legends, apostando num Peugeot 106 S16 da MNE Sport.

Fotografias: DR

1300: excelente naipe de inscritos. Armando Freitas favorito

Em duas épocas deste novel Campeonato de Portugal de Montanha 1300 JC Group, Armando Freitas fez o pleno. Sagrou-se bicampeão nacional e venceu a maioria das provas disputadas em 2022 e 2023. Voltando a apostar no seu super competitivo Toyota Starlet 1.3, o fafense apresenta-se com o grande favorito a novo título.

Na Arrábida, os seus opositores mais diretos poderão ser Aníbal Rolo, no potente Datsun 1200 Coupé, da Divisão Clássicos, Eva Laranjeira, que está de regresso ao Peugeot 205 Rallye e Rui Gama, num Peugeot 106 XSi.

Destaque para o “sangue novo” que aparece no campeonato. Pelas mãos do Famaconcret Racing Team, estreia-se, aos 16 anos, Nuno Pinto (Toyota Starlet) e ainda o seu companheiro de equipa Luís Silva (Citroen C1). A equipa famalicense continua também a contar com a intrépida Catarina Silva, noutro Citroen C1.

Aliás, a “batalha dos 1000” tem tudo para ser tema durante o fim-de-semana, incluindo ainda o Peugeot 107 de Joaquim Barreiros. Presente estará também José Pedro Figueiredo. O médico de Portalegre alinha, como sempre, com o seu Datsun 1200 da Divisão Clássicos.

Com as verificações técnicas a decorrerem na tarde de sexta e na manhã de sábado, a Rampa da Arrábida verá a competição arrancar logo a partir das 9.30 de sábado com as duas subidas de treinos da Super Subida Meliã.

Depois de almoço, entra ao serviço a “armada” do CPM JC Group com três subidas aprazadas neste dia inaugural, sendo que duas serão de treinos, a que se junta a 1ª Subida de Prova.

Pelo meio, os concorrentes da Super Subida Meliã, terão as suas duas subidas de prova.

O domingo será integralmente dedicado ao CPM JC Group, com uma subida de aquecimento às 10.00, seguindo-se nova sessão de treinos oficiais. A partir das 13.00 horas decorrem a 2ª e a 3ª subidas de prova, normalmente decididas para o alinhamento classificativo final, decorrendo a entrega de prémios a meio da tarde, junto à Secil Outão.

 

Partilhe nas Redes Sociais

Em Destaque

Artigos relacionados

Publicidade

Contribua já:

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade