Novum Canal

mobile

tablet

Enfermeiros avançam para greve de quatro dias pela contagem dos pontos para progressão na carreira e valorização da mesma
Fotografia: Sindicato dos Enfermeiros Portugueses /foto arquivo

Enfermeiros avançam para greve de quatro dias pela contagem dos pontos para progressão na carreira e valorização da mesma

Partilhar por:

Os enfermeiros iniciam esta quinta-feira uma greve de quatro dias (17, 18, 22 e 23) convocada pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) que declara que ter entregue “um pré-aviso de greve, depois da reunião do processo negocial sobre a contagem dos pontos dos enfermeiros com o Ministério da Saúde”.

Na origem desta greve, os enfermeiros exigem a “contagem de pontos e reposição da paridade entre a carreira de Enfermagem e a Carreira Técnica Superior da Administração Pública”, afirmando ser inadmissível “que a tutela não assuma claramente, entre outros aspetos, o pagamento dos devidos retroativos desde 2018 e a resolução das designadas injustiças relativas”.

“No desenvolvimento das inúmeras ações de luta e de intervenções institucionais junto das mais diversas entidades ao longo de mais de quatro anos, valorizamos que o Ministério da Saúde tenha assumido a justa e legal contagem de pontos aos designados enfermeiros reposicionados nos 1201 euros e com CIT”, avança o sindicato no seu site oficial, numa alusão à contagem dos pontos.

Na carta entregue ao Ministro da Saúde, esta quarta-feira, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses exige, ainda, a “reposição da paridade entre a Carreira de Enfermagem e a Carreira Técnica Superior da Administração Pública/Carreiras de grau 3 de complexidade funcional”

“A enfermagem portuguesa conquistou em 1991 a paridade salarial entre a Carreira de Enfermagem e as Carreiras Técnica e Técnica Superior da Administração Pública. A partir de janeiro de 2022, o Governo valorizou, designadamente, a 2.ª posição remuneratória da Carreira Técnica Superior (“posição de ingresso dos Licenciados”), passando o nível remuneratório de 15 para 16. A 1.ª posição remuneratória da Carreira de Enfermagem permaneceu no nível remuneratório 15. A partir de janeiro de 2023, de acordo com a proposta apresentada pelo Governo às “frentes sindicais” da Administração Pública, todas as posições remuneratórias da Carreira Técnica Superior, a partir da 3.ª posição, são valorizadas”, explica o sindicato que prossegue: “Não existe qualquer critério justificativo para esta discriminação negativa do valor económico do trabalho dos Licenciados em Enfermagem face aos demais Licenciados da Administração Pública”.

O sindicato solicita o agendamento de uma reunião para dar início ao processo negocial com vista à reposição da citada paridade.

Fotografia: Sindicato dos Enfermeiros Portugueses/ foto arquivo

Esta estrutura sindical recorda, ainda, que “em 2023, com a proposta de aumentos salariais do Governo e para a generalidade dos enfermeiros (excetuando os posicionados nos níveis remuneratórios 15, 19 e 23) o aumento é de cerca de 2% e todos perdem em média 110€”. 

O mesmo sindicato esclarece que “em 2022 todos os trabalhadores da Administração Pública, devido ao brutal aumento dos preços, vão perder um salário”, recordando que os enfermeiros exigem a “recuperação do poder de compra – 10% de aumento salarial, a transformação de todos os contratos precários em contratos definitivos e a aposentação mais cedo”.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses exige, por outro lado, a “concretização do calendário negocial apresentado pelo Governo relativo à Tabela Remuneratória Única e SIADAP, a majoração dos dias de férias independentemente do vínculo e a defesa e reforço dos serviços públicos, desde logo o SNS”.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!