Novum Canal

mobile

tablet

MARINA FERREIRA SILVA

Artigo de Opinião | Já ouviu falar de Depressão Sazonal?

Partilhar por:

Para umas pessoas pode ser quase indiferente, não sentem tanto, mas para outras a chegada do outono pode ser o princípio do que podemos chamar de cair da «folha emocional». Certo é que, se ouve muitas vezes dizer que estes dias são mais deprimentes e, tal afirmação, até nem anda muito longe da realidade, já que os dias mais sombrios, mais curtos e menos luminosos são, efetivamente, responsáveis por um agravamento do estado de humor.

Não sendo totalmente claros os motivos, as explicações dos especialistas apontam para um desequilíbrio biológico relacionado com alterações na produção de um neurotransmissor – a serotonina – que é responsável pela regulação do humor, deixando-nos mais cabisbaixos.

Também a produção de melatonina parece sofrer alterações nos dias mais cinzentos. Este neurotransmissor é responsável pelo sono e quando produzido em excesso provoca uma sensação de cansaço e quebra de energia. Além disso, como os dias ficam mais curtos, as passamos menos tempo expostos à luz solar e o cérebro é bastante sensível ao ciclo ‘claro/escuro’.

Reconhecer os sinais da alerta é fundamental, principalmente em pessoas particularmente vulneráveis. A esta parte, a experiência confirma que é frequente que sejam os familiares próximos a notar as alterações de comportamento, e não o próprio, estando as mulheres potencialmente mais expostas ao risco de depressão sazonal.

De destacar alguns dos sinais a ter em consideração:

  • Humor depressivo;
  • Alterações do padrão de sono – sono demais ou insónias;
  • Apatia;
  • Desinteresse;
  • Ansiedade sem motivo aparente;
  • Hipervalorização de problemas que anteriormente não eram vividos do mesmo modo;
  • Alterações do apetite;
  • Isolamento

Este estado poderá ser apenas transitório, porém, a intensidade dos sintomas depende dos fatores de risco associados, daí que algumas pequenas ações possam transformar a vivência desta estação numa experiência mais agradável, saudável e de mudança.

Vejamos:

  • Comece por verificar a sua higiene de sono. Precisará de mais horas para fazer face ao desgaste diário. De seguida experimente acordar com luz natural e livre-se do despertador. Lembre-se que o nosso cérebro está preparado para acordar harmoniosamente.
  • Areje a casa, deixe o sol entrar, abra os cortinados para que a luz natural preencha todos espaços do seu lar.
  • Tente dar pequenos passeios a pé, ou mesmo praticar algum desporto, o que lhe permitirá aumentar o nível de atividade do seu corpo. Tem inúmeros benefícios, desde o melhoramento do humor à capacidade de sentir e apreciar o prazer e restabelecer o ritmo cardíaco.
  • Enriqueça a sua alimentação com nutrientes específicos, tais como ácidos gordos Ómega 3 e Ómega 6 que podem contribuir para melhorar estados de tristeza, falta de energia, ansiedade, insónia entre outros. A Vitamina D também poderá ser uma boa ajuda. Se sentir que lhe faz sentido, é possível que opte também por um suplemento vitamínico.
  • Desapegue-se. Ainda que possa ser uma fase propícia a ganharmos novos sentimentos de medo, deve tentar ignorar esses receios e não perder a força. Respire e vá em frente porque é uma boa altura para deitar fora o que não presta, desapegando-se não só de emoções menos boas mas também de coisas que já não têm a ver com a sua energia e só lhe causam bloqueio. Comece pelo desapego material, deitando fora, ou dando a alguém, o que tem guardado e já não serve para si.
  • Faça meditação. Hoje em dia tem à sua disposição centenas de meditações guiadas online, tanto Mindfulness, como outras que possa gostar mais. Pode fazer apenas 5 ou 10 minutos desta prática por dia (mais vale fazer pouco do que nada fazer). Faça-o, por exemplo, depois de uma boa caminhada. O bem que lhe faz é imenso porque muda, inclusive, a sua estrutura cerebral.
  • É importante ainda aproveitar este tempo de maior recolhimento para estabelecer novas metas e desenhar novos projetos – com uma postura positiva e uma atitude resolutiva.

Apesar do tanto que este estado possa ser despoletado por questões ambientais, a verdade é que, muitas das dificuldades já estariam presentes. Quando os dias diminuem e a produção de certas substâncias se altera, isto surge como um trigger que está na base do estado depressivo, por isso, importa notar a importância de ajuda profissional para perceber mais sobre o que se possa estar a passar consigo.

O outono instalou-se e o sol aos poucos vai estando menos presente no nosso quotidiano e contra isto não podemos lutar. Se isso inevitavelmente nos vai deixar em baixo? É sempre uma decisão nossa!
Cuidarmos de nós e fortalecermo-nos emocionalmente é uma decisão de todos os dias, durante todo o ano.

Boa reflexão!

Por: Marina Ferreira Silva


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!