EM DIRETO
Fechar X
ASSISTA AGORA
EM DIRETO
EM DIRETO
Publicidade

(C/VÍDEO) “O Futuro da Contabilidade em Portugal” com Paula Franco

A Bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados, Paula Franco, esteve, esta tarde, no auditório da Casa da Cultura de Paredes, a convite da ASEP – Associação de Empresas de Paredes para uma sessão sobre “O Futuro da Contabilidade em Portugal”.

Perante uma plateia maioritariamente constituída por contabilistas, a bastonária realçou que as empresas face à conjuntura internacional estão hoje confrontadas com novos desafios, uma mudança de paradigma, tendo defendido melhor remunerações para os profissionais deste setor.

“Os contabilistas certificados estão confrontados hoje com um conjunto de obrigações fiscais, contabilísticas e empresariais pelo que urge promover um aumento das remunerações destes profissionais, sendo, também, determinante que todos possam trabalhar em conjunto para mudar e valorizar o trabalho do contabilista certificado”, disse.

Paula Franco reconheceu que a falta de mão-de-obra é igualmente um dos problemas com que o tecido empresarial, as empresas e os empresários estão confrontados.

“É determinante que consigam reter talentos, este é um dos grandes desafios com que as empresas estão confrontadas, sendo um desafio transversal. A questão da sustentabilidade e das empresas terem, cada vez mais, preocupações sociais com os seus colaboradores pode ditar a diferença entre um seu colaborador querer ficar ou ir para outro local ou até mesmo para o estrangeiro. No futuro, a questão da sustentabilidade será uma das formas a ter em conta para que as empresas consigam reter talentos nas suas unidades, mas para isso urge subirem as remunerações. Há que manter este equilíbrio, perceber quais os limites e até onde as empresas podem chegar, aumentando preços, o que irá causar mais inflação, mas a única forma de reter talentos terá que passar por aumentar aos seus vencimentos”, referiu.

Paula Franco relembrou que a Guerra na Ucrânia, a escalada no aumento dos custos da energia tem suscitado um conjunto de questões acrescidas com impactos para a economia, a vida das pessoas e das empresas.

“As empresas, neste contexto, estão a serem confrontadas com fatores que não conhecem e isso provoca insegurança nos empresários, nos contabilistas, no sentido de encontrarem soluções, apoios que possam minimizar esses mesmos problemas”, frisou, admitindo que os empresários apesar das dificuldades têm conseguido fazer face à inflação, ao aumento dos preços, das matérias-primas e outras variáveis.

O presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, reconheceu que cada vez mais as empresas terão de serem capazes de se organizarem para fazerem face às adversidades e aos novos desafios com que estão confrontadas em diferentes áreas.

“As empresas têm de se organizar em termos contabilísticos porque a realidade tem trazido desafios constantes, Primeiro foi a crise sanitária e agora a guerra, com a falta de materiais. Terá forçosamente de existir outro tipo de antecipação na compra dos materiais e na organização dos trabalhos porque o mundo está perante a falta de matérias-primas e uma variação de preços constantes”, expressou.

Questionado quanto à necessidade de se promover ações de formação direcionadas para os empresários, o chefe do executivo esclareceu que os empresários são acima de tudo empreendedores.

“Os empresários são, acima de tudo, empreendedores e devem munir-se de bons profissionais em rede que complementem o essencial da atividade com uma organização que terá de ser cada vez mais necessária”, adiantou.

Alexandre Almeida relevou, ainda, o trabalho que tem sido realizado pela atual direção da ASEP.

“Esta direção, desde que houve uma mudança de direção, tem estado muito ativa, tem promovido o Vida à Porta numa tentativa de aproximar os alunos das empresas e do mercado de trabalho. Sei que outras atividades irão surgir e isso é positivo na medida me que permite que os alunos fiquem a conhecer melhor o universo das empresas que existem no concelho, em diferentes domínios”, avançou, sublinhando a importância da candidatura aos bairros comerciais digitais, projetos que além da intervenção nos espaços físicos permitem recorrer a “modelos de intervenção baseados em tecnologia digital”.

A sessão dirigida a empresários e contabilistas contou, também, com a presença do presidente da ASEP, Silvestre Carneiro, da tesoureira da ASEP, Ana Barbosa, e o vice-presidente do Conselho Diretivo da Ordem dos Contabilistas Certificados, José Barbosa.

Na plateia, a assistir a esta sessão, estiveram, também, o vice-presidente da Câmara Municipal de Paredes, Elias Barros, e os vereadores Beatriz Meireles, Tânia Ribeiro e Renato Almeida.

Partilhe nas Redes Sociais

Em Destaque

Artigos relacionados

Publicidade

Contribua já:

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade