Publicidade

Reportagem: Ministro da Defesa inaugurou Monumento aos Combatentes do Ultramar em Valongo

Ministro da Defesa inaugurou Monumento aos Combatentes do Ultramar em Valongo

O Ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, inaugurou, este sábado, o Monumento aos Combatentes do Ultramar, localizado na Rotunda 1.º de Maio, em Valongo,  da autoria de arquiteto Carlos Fazenda, num tributo aos ex-combatentes do Ultramar.

No monumento estão gravados os nomes dos 26 militares naturais do concelho de Valongo que perderam a vida na guerra colonial.

O governante enalteceu a homenagem prestada pelo município e pela junta de freguesia recordando que a defesa nacional tem um dever de memória.

“Estamos perante homens que arriscaram a sua própria vida por terem recebido ordens e por não terem escolha. O nosso dever de memória é maior quando estamos perante combatentes que perderam a vida ou regressaram feridos, estropiados. Temos o dever de honrar o serviço de todos os ex-combatentes e aos caídos em combate. Este dever sobrepõe-se e torna irrelevante o juízo que cada um faz sobre a guerra. Como o passar dos anos avoluma-se o sentimento desta ser uma guerra inglória e desnecessária, mas não estamos reunidos num colóquio de historiadores para refletir sobre o significado histórico dos anos de guerra durante a ditadura. O nosso propósito é o de homenagear os homens simples”, adiantou, sustentando que faz questão de estar presente nestas cerimónias.

O ministro reconheceu que a guerra deixou marcas profundas, tendo envolvido portugueses de várias origens e classes sociais, avançando que foi esta geração que levou a cabo 25 de Abril, momento histórico que permitiu transformar o país.  

O Ministro da Defesa destacou, ainda, que sempre que reúne com os homólogos dos países lusófonos africanos recorda-se sempre do sentimento de fraternidade e encontra raízes no sacrifício dos muitos ex-combatentes que estiveram no Ultramar.

João Gomes Cravinho declarou que o sacrifício de muitos destes ex-combatentes não foi reconhecido ao longo de muitos anos, mas confirmou que o Governo está determinado em dar substância ao dever de reconhecimento e de memória.

“O nosso reconhecimento tem de se estender a políticas concretas e é por isso que temos uma secretária de Estado dedicada aos ex-combatentes, que tem desenvolvido um trabalho empenhado e de qualidade, pela primeira vez conseguimos aprovar o estatuto do antigo combatente e por via deste estatuto abrimos caminho a um conjunto de benefícios concretos”, manifestou, sublinhando que esses benefícios estão ainda aquém daquilo que foram os sacrifícios de muitos desses ex-combatentes.

“Mereceriam muito mais, mas temos agora um ponto de partida e queremos construir um novo caminho. É importante que se tenha começado este trabalho e estamos disponíveis para continuar a melhorar”, avisou, realçando que existem já vários instrumentos aos quais os ex-combatentes podem aceder.

O presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, enfatizou a importância de homenagear os militares que combateram no Ultramar, sobretudo aqueles que perderam a vida e eram naturais do concelho.

“Este é uma bela iniciativa da Junta de Freguesia de Valongo, que conta com o apoio do Município de Valongo. Além dos combatentes não nos podemos esquecer das mulheres, dos namoradas, das filhas dos ex-combatentes. Esta é também uma homenagem às mulheres”, manifestou, recordado as palavras do Presidente da República de que nenhum país está bem consigo mesmo se não estiver bem com a sua história.

“Somos um povo e um país de primeira linha. Este concelho surge muito ligado à luta contra os franceses. A história é difícil porque não temos ainda 200 anos, mas este concelho surge na reforma dos Passos Manuel, uma figura tão maltratada, fez a mais corajosa reforma administrativa do país, acabou com 500 concelhos e Valongo surge nessa altura. Mas, hoje, o momento é uma homenagem aos ex-combatentes que não tiveram alternativa e foram chamados a defender o território e nós só somos país porque temos território, temos língua, um sentido comum. Foram cumprir uma missão e ao longo destes anos fomos sabendo homenagear, distinguir e reconhecer. Só somos e estamos bem connosco quando sabemos distinguir, quando não estamos disponíveis para apagar a memória e não devemos apagá-la mesmo que essa memória seja incómoda”, afiançou.  

O presidente da Junta de Freguesia de Valongo, Ivo Vale Neves, declarou que desde o primeiro mandato que era desiderato do executivo da Junta de Freguesia erguer um monumento em homenagem aos ex-combatentes.

O autarca destacou que uma prioridades  do seu executivo em articulação com o executivo camarário tem passado por valorizar o território, o património natura, histórico e cultural com a promoção das serras, da festa da regueifa do biscoito, entre outros produtos logomarcas.

“Faltava homenagear as gerações que deram o melhor de si, pelo próximo, pela sua terra e pela sua pátria. Faltava materializar uma lembrança para as gerações atuais e futuras”, disse, relevando o esforço e entrega de muitos destes ex-combatentes que fizeram a diferença e proporcionaram uma viragem do sistema político nacional com a Revolução dos Cravos.

O autarca recordou aqueles que regressaram para junto dos seus familiares e entes queridos, mas também os que os que tombaram ao serviço da pátria.

“É também por esses que estamos aqui hoje, ficando este memorial como símbolo para que jamais nos esqueçamos que todos os homens que estiveram disponíveis e estarão para dar de si à pátria, aos portugueses e a toda a humanidade”, avançou, reforçando que este monumento é uma obra de arte,  onde sobressai a figura da mãe, figura de afetos, e a da criança simbolizando em conjunto a família, referindo-se ainda a esta peça como elo de ligação entre gerações.

O autarca anunciou, a terminar o seu discurso, que o seu executivo decidiu isentar em 50% das taxas os veteranos de guerra residentes na freguesia de Valongo.

O Tenente General Joaquim Chito Rodrigues, presidente da Liga dos Combatentes, relevou a iniciativa da junta de freguesia e da câmara municipal de Valongo, enalteceu o Estatuto do Antigo Combatente (EAC) que entrou em vigor no dia 1 de setembro de 2020, e que aumentou “o valor dos complementos especiais de pensão aí referidos de 3,5% para 7% do valor da pensão”.

O presidente da Liga dos Combatentes recordou o 25 de Abril, os que regressaram do Ultramar, tropos, cegos, com stress pós-traumático, mas também as associações que se tiveram de organizar pela defesa dos direitos dos ex-combatentes.

“Quer a Liga dos combatentes quer as associações dos combatentes têm lutado para que os governos apoiem os que mais necessitam, na saúde e noutros domínios Passados 47 anos, com o ministro João Gomes Cravinho é possível aos combatentes verem aprovado na Assembleia da República a publicação de um estatuto que pela primeira vez  reconhece o sacrifício de 13 anos de guerra daqueles que se bateram por determinação do poder político, então, considerado constitucional. E temos um estatuto que reconhece o sacrifício, do sofrimento das famílias  e do luto”, expressou, sustentando que este é um reconhecimento moral.   

Apesar deste avanço, o Tenente General Joaquim Chito Rodrigues desafiou o Governo que além do reconhecimento moral urge avançar com o reconhecimento material.

“Que se tomem medidas, o estatuto uma vez completado com medidas de apoio e reconhecimento material de apoio à saúde e peço ao senhor ministro e à senhora secretária de Estado que completem o trabalho iniciado porque ficará na história dos combatentes o estatuto real que estabelece essa reconciliação que ainda não está terminada. É fundamental o aprofundamento do apoio à saúde e do apoio social àqueles que mais precisam e às suas famílias”, adiantou, reafirmando que não são necessárias mais reuniões de associações para analisar e debater os problemas que afetam os ex-combatentes.

Partilhe nas Redes Sociais

Em Destaque

Artigos relacionados

Publicidade

Contribua já:

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade

Publicidade

Estamos a melhorar por si, Novum Canal, sempre novum, sempre seu!

Publicidade