Sábado, Janeiro 18, 2020
PoliticaPortoRegiãoÚltima Hora

Ministro das infraestruturas e da Habitação confrontado com problemas do Porto

79visualizações

O Grupo Parlamentar do PCP, pelas deputadas Ana Mesquita e Diana Ferreira, questionou o Ministro das Infraestruturas e da Habitação na audição na especialidade do Orçamento do Estado sobre questões da ferrovia, das acessibilidades e da habitação pública no distrito do Porto.

Foi questionado o investimento previsto para a conclusão da modernização da linha do Douro e para a requalificação do material circulante, sendo notório que as carruagens não têm actualmente as condições desejáveis de qualidade e de conforto.

Quanto à intervenção prevista na linha de Leixões, o GPPCP perguntou se o investimento a ser feito vai ter em conta a Resolução da AR 87/2018, que recomenda ao Governo a reabertura do serviço ferroviário de passageiros entre Leixões e Ermesinde e a sua ligação a Campanhã.

A intervenção no troço Gaia-Ovar da Linha Ferroviária do Norte deveria ter ficado concluída em Setembro, mas foi adiada face ao concurso que ficou deserto. Assim, o PCP questionou que medidas com respaldo orçamental vai o Governo tomar para que este problema seja rapidamente resolvido e as obras realizadas.

Foi colocada a necessidade de intervenção e de obras em várias estações e apeadeiros do distrito do Porto, como é o caso flagrante de Vila Meã, que o PCP visitou em Novembro.

Além disso, foi também assinalado o problema de funcionamento das bilheteiras da CP. Apenas quatro bilheteiras do distrito funcionam de manhã e de tarde, todas as outras funcionam apenas durante a manhã ou durante a tarde, sendo que as máquinas de venda automática não dão resposta satisfatória. Esta situação não está desligada da falta de pessoal e da necessidade de investimento, pelo que foi questionado o que seria feito a nível orçamental para resolver este problema.

Quanto às oficinas de Guifões, o GPPCP colocou a necessidade de o orçamento dar resposta à necessidade de aproveitamento da capacidade instalada, bem como de uma efectiva utilização do Centro de Formação de Guifões para garantir formação especializada aos trabalhadores ferroviários.

Relativamente às acessibilidades, foi colocada a urgência da conclusão e construção integral do IC35 e a construção da variante à Estrada Nacional 14.

Por fim, foi reivindicada a assunção das responsabilidades do Governo e a intervenção do IHRU nos bairros do distrito do Porto de que é proprietário.

Deixar um comentário